Dresden

IMG_3511 2

Dresden é uma cidade de aproximadamente 500 mil habitantes, a sul de Berlim, próxima à fronteira com a República Tcheca. Embora no Brasil não se ouça muito falar de Dresden, pela Europa é uma cidade bem conhecida e visitada, apelidada inclusive de “A Florença do Elba”. Você não se arrependerá de dedicar dois ou três dias para conhecer Dresden.

Embora pequena, a cidade acumula fatos históricos de todos os tipos, que deixaram marcas na sua arquitetura. Capital do estado, Dresden foi a residência dos reis da Saxônia até o final da primeira guerra mundial. Como tal, o centro histórico apresenta impressionantes exemplos de arquitetura barroca, símbolo da cidade.

Mas quase todos os edifícios históricos da cidade são na verdade reconstruções recentes. No final da segunda guerra mundial, na noite de 13/14 de Fevereiro, Dresden foi bombardeada em uma das ações mais controversas da guerra por parte dos aliados. O centro histórico ficou completamente destruído e aproximadamente 25.000 pessoas morreram. Por ter ocorrido no final da guerra, discute-se até hoje se o bombardeamento foi “justificável”, ou se foi um crime de guerra. Aceita-se amplamente que a ação foi desnecessária, pois a guerra já estava praticamente ganha, e que teria sido realizada principalmente como vingança pelo bombardeamento da cidade de Coventry, na Inglaterra.

dresden-1945

Por esse motivo, a data acabou tendo uma importância simbólica para grupos neo-nazistas. Todos os anos, em 13 de Fevereiro, Dresden é palco de enormes manifestações. Neo-nazistas e a extrema direita realizam neste dia uma marcha pela cidade que constitui a maior concentração de neo-nazistas, vindos de todas as partes da Alemanha e da Europa. Em contra-partida, grupos de esquerda também realizam manifestações anti-fascistas, e, inclusive, o grupo Dresden Nazi-frei se organiza juntando milhares de pessoas para bloquear os nazistas e impedi-los de marchar pela cidade. Apologia ao nazismo, negação do holocausto e até mesmo imprimir uma suástica são crimes na Alemanha. De maneira que a marcha nazista precisa de um pretexto e outros símbolos para ser autorizada. E por ser autorizada e não ser uma marcha abertamente a favor do nazismo, embora 100% das pessoas saibam muito bem que é disso que se trata,  a manifestação que bloqueia os nazistas é ilegal e não-autorizada pela polícia. Acontece, de qualquer maneira, todos os anos, e junta um número bem maior de pessoas que os neo-nazistas, de maneira que nos últimos dois ou três anos o bloqueio foi bastante bem sucedido, e a quantidade de nazistas que vêm à cidade para a manifestação é cada ano menor. Em 2013, foram entre 10.000 e 13.000 pessoas às ruas bloquear a marcha nazista apesar das temperaturas abaixo de 0˚C. Apenas 800 neo-nazistas vieram para a manifestação, contrastando com os 7.000 que vieram em 2009. Dresden deixa bem claro que não vai mais aceitar nazismo por aqui.

Para controlar manifestantes insatisfeitos, força policial de toda a Alemanha vem a Dresden nesse dia.

Após a segunda guerra mundial, o regime soviético também deixou sua marca na arquitetura de Dresden, em forma de repetidos altos edifícios residenciais que se espalham pela cidade.

IMG_3651

A reconstrução de alguns dos edifícios destruídos durante a guerra deu-se já durante esse período. Mas as partes mais importantes do centro histórico, incluindo a igreja-símbolo da cidade, a Frauenkirche, foram reconstruídos somente após a reunificação. A Frauenkirche especificamente foi inaugurada apenas em 2005! Esse longo hiato entre a destruição e a reconstrução faz vários desses edifícios bastante criticados por arquitetos e especialistas em restauração arquitetônica.

As pedras utilizadas para a reconstrução da Frauenkirche mostram, hoje, o que sobrou (as pedras escuras) e o que é novo (as claras). Mas o tipo de pedra é o mesmo, devendo portanto escurecer em alguns anos, anulando a marca histórica do que foi e do que voltou a ser.

IMG_5383

Frauenkirche. As pedras escuras são originais. As claras, novas. Não, não tinha sobrado muito.

Mas chega de história e vamos ao que interessa: as tais dicas de viagem. Primeira dica: Não venha no dia 13 de fevereiro.

Transporte

Em Dresden, o principal meio de transporte público são os trams. Sei lá se tem um nome em português para tram. Eles são modernos demais pra chamar de bonde. Então fica tram.

IMG_0736

As linhas de tram cobrem praticamente toda a cidade, os trens são modernos e confortáveis e vem com freqüência e pontualidade, e funcionam por 24h.

O bilhete unitário de tram dura 1h e custa 2,20€. Você pode comprar o bilhete nas máquinas amarelas presentes na maior parte das estações, ou na máquina dentro do próprio tram, mas a do tram aceita só moedas. Ao entrar no tram, valide seu bilhete carimbando-o numa das maquininhas pequenas laranjas próximas às entradas. A partir desde momento o bilhete vale 1hora, e você pegar infinitos trams ou ônibus nesse tempo. Lembrando que, se você esquecer de carimbar o bilhete e aparecer um fiscal, a multa é de 60€, e eles calculam a quantidade de fiscalizações necessárias de maneira que não valha a pena correr o risco.

Mas, claro, o bilhete unitário só vale a pena se você for pegar tram só uma vez, mesmo. Se em um mesmo dia você planejar ir de tram pelo menos três vezes, já vale a pena comprar o bilhete diário, que vale do momento em que você validar até às 4 da manhã do dia seguinte, e custa 6,00€.

Se durante a viagem você planejar ir de tram apenas algumas poucas vezes, digamos, para levar as malas para o hotel e depois de volta para a estação, melhor comprar o bilhete com quatro passes, por 8,00€. Você pode usar um mesmo bilhete de quatro passes para mais pessoas, basta carimbar o bilhete uma vez por cada pessoa por cada viagem.

Finalmente, se você estiver em Dresden por uma semana, ou um pouco menos, e planejar pegar tram várias vezes para ver todos os cantos da cidade, pode ser mais em conta comprar o bilhete semanal, por 21€.

Tem agora também umas opções de tickets de grupo. A opção bilhete familiar diário (para até 6 pessoas sendo dessas no máximo 2 adultos) sai por 9,00€ (Familientageskarte), e a opção de bilhete diário para grupos de até 5 adultos (Kleingruppenkarte) sai por 15,00€

Mas na verdade, se você estiver em um hotel no centro ou próximo, e não tiver a intenção de ir muito longe, as partes mais importantes da cidade podem ser visitadas facilmente a pé.

E uma alternativa ainda mais simpática é alugar uma bicicleta. Dresden é super bike-friendly e praticamente plana. Um ótimo passeio é pedalar na quase infinita ciclovia às margens do rio Elba. Seguindo por ela, com alguma energia e boa forma você chega até a República Tcheca! Mas mesmo ficando só em Dresden o passeio já será bem agradável.

IMG_0499

Museus

Dresden tem uma grande variedade de museus , vários dos quais valem a visita.

o Zwinger hoje abriga três museus.

o Zwinger hoje abriga três museus.

O Zwinger, antigo palácio de festas da realeza, abriga três belas coleções:

1 – A Gemäldegalerie Alte Meister, ou Galeria de pinturas dos mestres antigos, expõe principalmente pinturas renascentistas, e é famosa pela Madona Sistina de Rafael e de várias vistas de Dresden pintadas por Bellotto.

Madona Sistina, de Rafael

A entrada somente para a galeria custa 10€

2 – O Mathematisch-Physikalischer Salon, ou salão da matemática e da física, onde estão expostos diversos antigos globos, telescópios, relógios e outros antigos instrumentos científicos diversos. A exposição é bem montada e o material é super interessante para qualquer um com um mínimo de interesse por ciência. Vale a pena

MPS01

A entrada separada para esse museu custa 6€.

3 – A Porzellansammlung ou coleção de porcelana, expõe a coleção real de porcelanas chinesas, japonesas, e de Meißen. A parte de vasos e pratos de porcelana é bem sem graça, mas a coleção de animais de porcelana e um buquê de flores completamente feito de porcelana são bem impressionantes.

A entrada para essa coleção custa 6€

O bilhete diário para visitar todos os três museus do Zwinger custa 10€, que é o mesmo preço da entrada separada só para a galeria de pinturas. Então vale a pena comprar o bilhete completo!

Ao lado do Zwinger, o Residenzschloss era o castelo onde residia o rei da Saxônia. Hoje o castelo também abriga uma série de museus: O “Grünes Gewölbe”, ou cofre verde, mostra o tesouro real. A “Kupferstich Kabinett” é uma coleção de desenhos, fotos e gravuras. A “Rüstkammer” expõe armas e armaduras reais. E, finalmente, a “Münzkabinett” é um museu de moedas. A entrada para todas essas coleções custa 10€ ao todo, exceto para uma área específica do cofre verde, a área histórica, que custa, separadamente, 12€.

IMG_0522

O castelo, ou Residenzschloss

Também no centro histórico, o Albertinum é um museu recentemente reinaugurado, reformado após a enchente de 2002 que inundou partes do depósito do museu. Hoje, o depósito com o acervo não-exposto foi colocado no topo do museu.

O Albertinum abriga duas coleções: a Galerie Neue Meister, ou galeria dos novos mestres, e uma coleção de esculturas. A entrada para o museu completo custa 10€.

Um outro museu interessante e bem diferente que tem por aqui é o Deutsches Hygiene Museum, ou Museu da Higiene. O nome é esquisito, mas o museu é na verdade sobre os vários assuntos relacionados ao corpo humano e os vários sistemas: imunológico, reprodutivo, digestivo, etc etc. A exposição é super interativa, tem várias coisas para “testar”, experimentar, e tal. O Bilhete custa 7€ e vale por dois dias – então se você não tiver tempo de ver tudo num dia, pode voltar no dia seguinte! É um ótimo lugar para levar as crianças, também.

Se você gostar muito de museus e quiser visitar todos os citados, uma boa alternativa é comprar um passe de museus. São duas opções. O que vale por dois dias custa 26€, e te dá acesso a todos esses museus, exceto a tal parte histórica do cofre verde, e mais alguns outros museus menores e menos importantes. O passe que vale por três dias custa 40,50€. Também não inclui a parte histórica do cofre verde. Não sei o que ela tem de tão especial.

Aqui nesse site você pode comprar os bilhetes online para as galerias estaduais (a maioria dos que eu mencionei).

Lugares para subir

Várias são as torres abertas para visita em Dresden.

1 – Frauenkirche: certamente é a mais visitada. A entrada custa 8€, parte da subida é de elevador, parte por uma rampa ao redor da cúpula, e algumas pequenas partes são escadas. Lá de cima, uma bela vista para a área central da cidade e o rio Elba. Mas, claro, subir na principal torre/igreja/cúpula da cidade sempre significa que de lá de cima não dá pra tirar foto da própria igreja/torre/cúpula que simboliza a cidade. Mas vale a pena, apesar do preço salgado.

IMG_3294-5

IMG_5413

É, as fotos foram tiradas em dias diferentes.

2 – Kreuzkirche: ali perto da Frauenkirche, ao lado da praça chamada Altmarkt, tem a “Igreja da Cruz”. A vista é um belo panorama do centro, com a Frauenkirche, claro, e por apenas 2,50€… bem mais em conta! A Kreuzkirche existe desde o século XII, e desde 1491 já pegou fogo 5 vezes. Melhor subir e descer rapidinho, por via das dúvidas…

IMG_5662

IMG_4368

3 – A torre do Residenzschloss: o castelo do qual já falamos, que abriga os vários museus, também abre a sua torre para visita. A subida está inclusa no bilhete para os museus. Lá de cima, uma bela vista para a ópera e o Zwinger, de um lado, e a Frauenkirche de outro.

IMG_1030-1

4 – Dreikönigskirche: atravessando o rio, a “Igreja dos três reis magos” proporciona uma bela vista para a Neustadt, o bairro “jovem” da cidade, e para a silhueta de Dresden. A subida custa 2€.

IMG_4316

IMG_0934-7

5 – Já na parte sul da cidade, próximo à universidade, a Bismarckturm é uma torre não tão alta, mas posicionada numa colina, de maneira que dá uma bela vista para a cidade inteira. Me parece que a entrada é gratuita.

IMG_2433

Mas talvez a melhor e mais impressionante vista de cima seja dos vários balões que sobrevoam a cidade em dias de tempo aberto no verão! O passeio custa aproximadamente 200€ por cabeça, e dura 1h30. Caro, certamente, mas deve ser uma experiência única. Ainda não fui.

IMG_1228

Outros pontos turísticos importantes:

Já mencionamos vários, mas alguns não tem torres nem museus, e mesmo assim merecem ser visitados. São estes:

1 – A Semperoper (ópera). Fica logo do lado do Zwinger e oferece visitas guiadas. E você pode, claro, assistir uma ópera. O edifício foi projetado pelo arquiteto Gottfried Semper em 1841. Passou por um sério incêndio em 1869, foi reconstruída pelo mesmo arquiteto e reinaugurada em 1878, para ser novamente destruída alguns anos depois no bombardeamento de 1945. A re-reconstrução terminou em 1985.

IMG_4415

2 – A Hofkirche, ao lado castelo e da ópera, é uma igreja católica ligada ao castelo. O que pode parecer estranho, se você entende algo de religiões e sabe que a Saxônia é protestante. Mas eis que o rei de então, Augusto II, o forte, era rei da Saxônia e tornou-se, também, rei da Polônia. Mas a Polônia é super católica e não rolava um rei protestante, então ele teve que mudar de religião. Mas para não desagradar os saxões, deixou que a Saxônia continuasse protestante, e construiu sua própria igreja católica do lado do castelo. A igreja tem um corredor interno que circula a nave para dar espaço para que a procissão ocorresse dentro da igreja, para não incomodar os protestantes lá fora.

IMG_5342

3 – Fürstenzug: seguindo em direção à Frauenkirche, você vai passar por um belo mosaico de porcelana que mostra os vários reis e duques da Saxônia. O mosaico era originalmente uma pintura, terminada em 1876. Entre 1904 e 1907, a pintura foi substituída por ladrilhos de porcelana de Meißen, para tornar a imagem à prova de água, uma vez que está em uma parede a céu aberto. A parede em questão é parte da garagem de carruagens reais, que hoje abriga um museu do tráfego.

IMG_4346

IMG_4841

4 – Nova sinagoga: no limite do que pode ser considerado o centro histórico, na sua parte leste ao longo do rio, você vai encontrar uma interessante sinagoga recentemente construída. Um belo modelo de arquitetura contemporânea, a sinagoga se divide em dois volumes: A administração e a sinagoga em si. Visitas guiadas te dão acesso à área interna.

IMG_3832

5 – A Biblioteca estadual: localizada na universidade, na parte sul da cidade, a biblioteca estadual da saxônia é outro belo exemplo de arquitetura contemporânea. Os dois volumes sobre a superfície abrigam a administração e serviços, enquanto o acervo e salas de leitura se encontram na enorme área subterrânea que interliga os dois edifícios. Fato curioso: aquele famoso calendário maia do fim do mundo é propriedade dessa biblioteca, e está exposto em um pequeno museu lá dentro.

IMG_2496

6 – Neustadt: na parte norte da cidade, atravessando o rio, você não deve deixar de visitar a Neustadt. É o bairro jovem da cidade, onde moram a maioria dos estudantes. Cheio de bares, restaurantes e discoteca, a Neustadt é também o point para a nightlife de Dresden. E lá os edifícios antigos são originais.

IMG_0813

7 – Haupstraße: no caminho para a Neustadt você vai passar pela Haupstraße, uma simpática e agradável rua comercial só para pedestres e bicicletas.

IMG_3207

8 – Museu militar: no extremo norte da cidade, atrás da Neustadt, você encontra no topo de uma colina o Museu militar. O acervo em si não é muito interessante, mas o edifício foi reformado pelo arquiteto Daniel Libeskind e recentemente inaugurado. Eventuais exposições temporárias também podem ser interessantes. O museu é gratuito às segundas-feiras.

IMG_1139

9 – Prager Straße: Seguindo do centro histórico na direção da estação central, você vai passar pela Prager Straße, outra simpática e agradável rua comercial.

IMG_5470

10 – Fábrica da Volkswagen, Estádio de futebol e Großer Garten: ao lado do maior parque da cidade, facilmente encontrável em qualquer mapa (Großer Garten), você encontra o estádio de futebol, e a fábrica de vidro da Volkswagen. A fábrica é envidraçada, mas produz carros, mesmo.

IMG_1245

11 – Blaues Wunder: finalmetne, se você estiver a fim de sair um pouco do centro, vale a pena ir até a ponte apelidada de “Maravilha Azul”. Dá para ir de tram, claro, mas certamente a melhor alternativa é de bike ao longo do rio, quem sabe com uma parada em um dos simpáticos biergartens para tomar uma cerveja e comer um pretzel.

IMG_0655

Enfim!

Me empolguei um pouco para escrever sobre Dresden, já que moro aqui. Mas é uma bela cidade que vale a pena uma visita, mesmo que seja um breve bate-e-volta de Berlim. Uns 3 dias é o ideal. Só lembra de não vir dia 13 de fevereiro.


(Publicado em 12 de Junho de 2013)

(Atualizado em 3 de Agosto de 2015)

 

56 comentários

  1. Sabe que eu não conhecia Desdren antes de vc ir morar aí, né.. mas agora, me parece super famoso! Aparece em filmes, em notícias, no facebook (e não são postagens suas, uahahah).. vira e mexe alguém comenta algo sobre também…
    Deve ser aquela coisa de.. sempre esteve na minha frente, mas só agora comecei a prestar atenção!
    Espero poder visitá-la logo! 😉

  2. Gostei muito de suas dicas. Cheguei aqui hj e vou aproveitar para seguir seu roteiro. Você tem dicas também de bons restaurantes e bares ??

    1. Oi Flávia. Eu não recomendo restaurantes pq acho que isso é meio pessoal. Fora que seria estranho recomendar, digamos, um restaurante italiano para um turista na Alemanha, e eu detesto comida alemã, então não tenho restaurantes alemães pra indicar. Mas em Dresden é fácil: vá para a Neustadt, nesse bairro tem muitos restaurantes, de vários tipos de cozinha, a maioria bom e com bons preços. No centro os restaurantes são sempre muito caros, e nem sempre bons.

  3. Olá! Parabens pelo blog! Vc sabe me informar se passe One day family, serviria para duas pessoas apenas?Pois o dia dele custa 9 euros e o individual 6.

    1. Oi Renata. Os passes de família como o que vc citou servem para até 6 pessoas, sendo dessas no máximo 2 adultos. Então sim, para um casal dá pra usar esse passe.

  4. Um dos melhores resumos sobre Dresden! Parabéns. A parte dos museus e compra dos ingresso é bem complicada, poderia dar umas dicas de “como” fazer a compra on line? E quanto a noite, o que indica para um casal jovem?

  5. Oi, Lais,
    Cheguei aqui pelo Sundaycooks, para ler mais sobre Dresden, e entrei madrugada lendo seus posts. =) Gostei do jeito como você escreve, com bom humor. Bem interessante saber e conhecer um pouco sobre como os alemães vivem.
    Eu estou com uma dúvida: não sei se vou a Dresden primeiro para depois ir a Leipzig, ou se desço em Berlim para depois seguir viagem. Pelo mapa, vi que Leipzig fica antes de Dresden para quem vai de Berlim, mas eu vou chegar de avião, então posso optar por qualquer uma das duas (Berlim ou Dresden). O que está me deixando em dúvida é que pelo tempo de deslocamento por trem, vi que dá quase na mesma sair de Berlim ou sair de Dresden, mas gostaria de saber o que é mais prático. O aeroporto de Dresden fica muito afastado do centro?
    Infelizmente só vou poder ficar um dia na cidade, mas lendo seu post deu vontade de ficar mais.
    Ah, sobre a ópera, é fácil conseguir ingresso? Sempre tem apresentações ou acontecem eventualmente?
    Se puder me ajudar, agradeço.

    1. Oi Jussara! Se eu entendi bem, você precisa ir pra Leipzig e vai pegar um vôo ou para Berlim ou para Dresden para depois pegar um trem para Leipzig?
      Se não tem diferença no preço do vôo para um lugar ou outro, faz mais sentido ir para Dresden: a cidade é menor, vai ser muito mais rápido ir do aeroporto para a estação (você pode pegar um trem que vai do aeroporto até a estação, e vai te custar 2,20 euros e demorar uns 15 ou 20min) e também faz mais sentido ir de Dresden para Leipzig do que de Berlim para Leipzig pq Dresden e Leipzig estão no mesmo estado, então a passagem de trem é mais barata entre as duas cidades, é mais rápido também, e tem trens de hora em hora. Se preço for critério, a opção mais barata mesmo é ir de ônibus, (tem passagens por uns 5 euros), e tb de Dresden para Leipzig é mais rápido (até pq os ônibus de Berlim para Leipzig costumam passar por Dresden antes). Espero ter ajudado! Abraço!

      1. Oi, Lais,
        Você entendeu certo. =) Realmente, não estou encontrando diferença no preço das passagens de avião, então tanto faz ir para Berlim ou para Dresden.
        Eu não vou direto para Leipzig, vou ficar um dia em Dresden. Nesse caso, tem trem para o centro da cidade também? Não estou levando o preço como critério, não, pois achei umas passagens de trem bem em conta, mas tinha cogitado ir de ônibus se fosse preciso. As passagens de trem eu compro no site bahn.de mesmo, não? Sabe me dizer se viajar pela German Wings é tranquilo? Sua resposta me ajudou, sim. Obrigada!
        Abraços.

      2. Sim, no site bahn.de você compra as passagens de trem. Tem várias opções: os trens regionais, que são os mais baratos, ligam cidades num mesmo estado e você não precisa comprar a passagem com antecedência pq não dá pra reservar lugar. Os ICEs são os de alta velocidade, são mais caros, mas mais confortáveis e mais rápidos, e você pode reservar lugar por 4 euros extras (eu sempre reservo pq correr o risco de ficar em pé não dá, né?)
        Eu nunca viajei pela German Wings, mas não vejo pq não seria tranquilo! =) (o acidente foi um caso a parte, certamente!)

      3. Obrigada pelas dicas. Eu não expliquei direito, hehe. Perguntei se era tranquilo por ser uma low cost. Então o tranquilo seria no sentido de não ser uma Easy Jet, da qual muita gente reclama… Mas acho que vou com ela mesmo. Em tempos de Real desvalorizado está saindo tudo muito caro para nós brasileiros. Eu nem sabia dessa queda do avião, dei um Google depois da sua resposta. =D
        Só mais uma dúvida: tem metrô do aeroporto para o centro de Dresden? Graças ao seu post resolvi ficar mais uma dia na cidade, mas vai ser no fim de semana. Espero que a cidade não fique muito cheia. Obrigada!

      4. Oi Jussara! A estação central de trem fica no centro, de lá dá pra fazer tudo andando. Então você pode pegar o trem do aeroporto para a estação central (Hauptbahnhof) e ir passeando de lá! =)

      5. Vou ficar hospedada no centro, então o fato de ter trem do aeroporto até a estação central vai ser uma mão-na-roda. =) Obrigada, Lais.

      6. Oi, Lais,
        Eu tinha dito que não sabia da queda do avião da Germanwings, mas ontem vi o vídeo de uma brasileira que mora na Alemanha sobre isso, e pela data percebi que tinha sido em março. Então me lembrei da notícia, pois viajei nessa semana da queda do avião. É que aqui no Brasil foi noticiado como Lufthansa, porque a Germanwings é um braço dela, ou algo assim. E na época eu estava com problema na internet, não conseguia navegar, então nem pude ler as notícias e ver que o avião era da Germanwings; na minha cabeça ficou Lufthansa. Enfim, só estou falando isso para corrigir o que eu tinha dito (que não sabia da queda do avião).
        Por falar nisso, um dos voos que fiz com a Germanwings pegou uma turbulência meio forte já quase no final; o avião chacoalhou com violência e perdeu um pouco de altitude bruscamente. Sabe quando a gente se segura no braço da poltrona pra não cair? =D Uma mulher atrás de mim gritou e teve um mini acesso de pânico, ficou meio que chorando baixinho por um bom tempo. Logo o avião entrou no plumo novamente, e a gente percebeu que não era nada de mais, mas depois fiquei com dor de cabeça por causa do susto. Acho que se tivesse alguém sem cinto teria batido a cabeça no teto (os avisos já estavam ligados).

      7. Hehehe, na hora assusta mesmo, mas depois passa.
        Aproveito para corrigir a palavra que escrevi errado. Eu quis dizer prumo (engraçado que eu olhava a palavra, achava estranha, mas não conseguia ver o que estava errado; baixou o Cebolinha em mim na hora. rs).

    2. Ah, esqueci de responder sobre a ópera. Sim, é relativamente fácil conseguir ingresso, a gente já comprou até no próprio dia da apresentação. Depende, claro, de qual for a apresentação, né. Tem quase todo dia alguma coisa, só que agora em Agosto eles ficam de férias. Então o próximo evento é só dia 24 de agosto. Mas a partir de setembro tem de novo quase todo dia. Dá uma olhada no site deles (tem em inglês): https://www.semperoper.de/en.html

      Abraços!

      1. Ah, que pena que eles ficam de férias em agosto. Dia 24 ainda não estarei em Dresden, e pelo que entendi no site, depois do dia 24 eles só voltam dia 06/09, quando já não estarei mais na Alemanha. Se tivesse alguma coisa nos primeiros dias de setembro, eu poderia dar um jeito de ir. De todo modo, super obrigada pelas informações.
        Abraços.

  6. Laís, socorro!!! Quando não reservamos o assento, corremos o risco da ficar em pé? Comprei 3 tickets sem marcar assento de Berlim para Dresden!!! Será que consigo comprar em separado?
    Você poderia me informar se na Estação existem toaletes com chuveiro? É que vamos chegar em Dresden as 10:50 da manhã e sair 00:45 para Viena. Vamos andar o dia todo, queríamos tomar um banhinho antes de seguir viagem e achamos que não vale a pena pagar uma diária de hotel por 12 horas. Agradeço se puder me informar.
    Parabéns pelo Blog!
    Abraços.

    1. Oi Eliana! Não precisa ficar tão preocupada assim, não. As vezes que eu peguei trens em que tinha gente em pé foram perto do Natal ou percursos como Colônia – Frankfurt, que sempre tem muita gente. Num trem de ou para Dresden eu nunca vi isso acontecer, então ficaria tranquila. Eu, na dúvida, sempre reservo, mas acho pouco provável que vc não consiga sentar, viu.
      Na estação não tem chuveiro, não, só pagando diária em hotel, mesmo! =/ Boa viagem!

      1. Aliás, principalmente de Berlim pra Dresden deve ser tranquilo, porque é um percurso que a maioria faz de ônibus! =)

      2. Que alívio!!! Pensei em ir de ônibus tbém, mas pensei que ficaria mais fácil chegar na estação deixar as malas no locker, percorrer os pontos de interesse, voltar à estação pegar as malas e pegar o ônibus de que sai próximo dali para Viena. Vi na internet que tem ônibus que sai de Dresden 00:45 e chega em Viena 06:15. A saída do ônibus da Eurolines é de “Dresden Hbf” e do ônibus da BerlinLinienBus é “Dresden Hbf, Bayrische Str”. É tudo a mesma coisa? O mesmo local? É mesmo próximo da Estação?
        Desculpe o abuso Lais, mas essas informações preciosas nos livram de muitos perrengues de viagem, né? Obrigada de coração!

      3. Bom, de trem é sempre mais confortável, mesmo, eu prefiro mil vezes. Mas as vezes o preço deixa impraticável!
        Quanto à sua pergunta: sim é o mesmo lugar. Os ônibus param na rua atrás da estação de trem. Atrás ou ‘do lado’, depende do que vc considera frente. No lado Sul, vai, aí fica melhor explicado. Se você olhar no mapa vai ver onde fica essa rua Bayrische Str,, é bem do lado da estação, mesmo, na porta, não tem erro. E todos os ônibus saem de lá! Boa viagem!

  7. Olá Laís, tudo bem? parabéns pelo Blog!!
    Estou indo amanha para Dresden, e volto domingo para Praga,
    vc sabe se neste fds haverá algum espetáculo na cidade?
    Obrigada!! bjs

      1. Oi Lais desculpe rsrs, Alguma ópera ou algo do tipo, vi em outro comentário que alguns lugares estão em férias e retornam só dia 24. Como não conheço a cidade, queria dar sorte de encontrar alguma atração imperdível sabe…. Será que consegui me explicar? rsrs abs

      2. Oi Simone! Desculpe a demora pra responder, é meio tarde demais pra te ajudar, mas também eu não sabia de nenhum espetáculo, não, hehe! =) Espero que você tenha gostado de Dresden! Abs!

      3. Oi Simone! Desculpa não ter respondido! Eu estava na correria naquela semana e não sabia de nenhum espetáculo, então como a resposta não ia ser positiva acabei esquecendo de responder! =) Espero que vc tenha gostado de Dresden mesmo sem nenhuma atração imperdível! 😉

  8. Achei seu blog por acaso procurando coisas sobre Dresden. Adorei suas informações. Estou indo agora no final de setembro passar um ano aí estudando. Seus posts serão de grande serventia pra mim. Parabens pelo Blog

  9. Oi Lais
    Estou pensando ir na epoca antecedente ao natal (que passarei em outra regiao da Alemanha) principalmente pelo Weinacht Market que tanto curto e ja conheci varios.
    Podes me informar se realmente e especail e vale a pena ir. Claro que tambem vou pelo que li tambem no teu blog (muito bom e informativo) sobre Dresden.
    Assim, ficarei contente com teus comentarios.
    Um grande abraco
    Talmir, Florianopolis

  10. Bom dia , Lais

    Não entendi o uso do card de 4 passes.
    Como funciona ?
    É tipo um card carregado com quatro viagens?

    Desde já,agradeço a atenção
    Cecilia

    1. Cecilia, os bilhetes de tram vc tem que carimbar numa maquininha que tem dentro dos trams e ônibus. O de 4 viagens vc pode carimbar quatro vezes, duas na frente, de cada lado, e duas no verso, de cada lado. Se vc comprar um bilhete vc vai entender rapidinho como funciona! 😉

  11. Lais, gostei muito do seu site: obrigada por compartilhar suas experiências e informações!
    Pretendemos (05 a 07 pessoas) estar em Dresden, por 04 dias, na primeira semana de junho, saindo de Berlin. Gostaríamos de ir também ao Parque Nacional Suíça Saxônica. Você poderia dar uma orientação? e será que no tempo que teremos valeria conhecer também Meissen? ou você recomendaria outra cidade próxima?
    Desde já agradeço a sua atenção, Maria de Lurdes

    1. Oi Maria!
      Sobre a Suiça Saxônica eu falei nesse post aqui:
      https://manhadealemanha.wordpress.com/dicas-de-viagem/sachsische-schweiz/
      Expliquei como chegar, onde ir, etc. Espero que ajude!
      Meißen também é muito bonita e fácil de chegar, se você for pra lá recomendo fortemente visitar o museu do castelo Albrechtburg, vale a pena! 😀 http://www.albrechtsburg-meissen.de/de/startseite/
      Quanto a outros lugares, e tempo de viagem, depende muito de como você gasta seu tempo numa viagem. Dá pra passar 4 dias em Dresden, mas também dá pra ver Dresden em um ou dois dias e usar o resto do tempo para outra coisa… eu não arriscaria recomendar um ou outro pq vai da preferência de cada um. Mas outros lugares próximos a Dresden legais de visitar são vários. Moritzburg e Weesenstein, por exemplo, são dois castelos pequenos muito bonitos e muito próximos de Dresden, dá pra fazer um numa manhã e outro numa tarde! 🙂 Boa viagem!

      1. Lais, agradeço a sua atenciosa resposta e sua generosidade em compartilhar tantas preciosas e precisas informações. Nos ajudou muito e nos faz saber o quão bonita e repleta de belos lugares é essa região.

      2. Oi Maria! Com a sua pergunta, fiquei aqui pensando nos vários lugares que dá pra visitar por perto de Dresden e me inspirei pra escrever um post sobre o assunto… Vou escrever nos próximos dias! 🙂

  12. oi Lais, que legal!
    Estamos muito interessadas em conhecer também Quedlinburg e verificamos um passeio (ida e volta) partindo de Berlin, com a HEX Harz Elbe Expresso, porém são boas horas de viagem.
    Como estaremos viajando de trem (06 pessoas já não jovens) e de Dresden vamos para Amsterdam, pensamos se teria uma forma confortável e não muito mais cara, de, por exemplo, incluir uma parada de um dia/noite nessa cidade.
    Verificamos que as rotas para carro são boas, pensando Dresden_Quedlinburg e Quedlinburg_Hanover (onde teríamos trem direto para Amsterdam), mas não encontramos boas soluções com o transporte de trem/ônibus.
    Estaria essa cidade contemplada no post que pretende escrever?
    Vou acompanhar seu blog…
    Obrigada!

    1. Oi Maria! Eu não conheço Quedlingburg, parece lindíssima! Fiquei morrendo de vontade! xD Mas você tem razão, as conexões não são muito boas, mesmo… Daqui de Dresden dá 4h horas de trem, com duas trocas, e 2h30 de lá até hannover… como é uma cidadezinha meio no meio do nada, tem que ficar trocando para uns trens regionais que vão parando em todas as cidades no caminho, então acaba demorando, mesmo. Mas bom, se fosse vocês eu faria isso, mesmo, sair de Dresden num dia de manhã, fica uma noite em Quedlingburg e no dia seguinte pegar o trem pra Hannover no final da tarde.
      De carro seria muito mais fácil, pq fica bem no meio do caminho entre Dresden e Hannover, mas aí depende de quão dispostas vocês estão a se arriscar a dirigir num país diferente com regras diferentes, né… e o ruim é que pra 6 pessoas ia ter que ou alugar dois carros, ou um carro maior.
      Bom, eu acho que a conexão de trem, apesar das trocas e tempo de viagem, não é tão ruim, já que trem é bem confortável e tal. Eu iria de trem.

  13. Oi, Laís! Adorei seu post. Peguei todas as dicas, pois vou para Dresden em agosto e de lá para Frankfurt. Valiosíssimas! Preciso de dicas, ainda, rs. Como ir de Dresden a Moritzburg, ao Weesenstein e a Meissen (transporte público)? Vou ficar 4 dias em Dresden e pensei em conhecer esses lugares. Me hospedarei no Ibis Budget Hotel Dresden City. Você acha que vale a pena o passeio de barco? Sabe quanto custa em média? Muito obrigada pelas dicas e pela ajuda. Abraços.

    1. Oi Andrea! Estou querendo escrever um post sobre lugares próximos a Dresden para visitar já faz umas semanas mas ainda não tive tempo. Mas com certeza escreverei em breve, aí respondo todas essas dúvidas de como chegar nos lugares, etc… 🙂 eu nunca fiz o passeio de barco que não sou fã de barco… Mas os preços variam entre 10 e 30 euros dependendo de qual passeio vc quiser fazer. Vc pode comprar os bilhetes na hora ou com antecedência pela internet nesse site:
      http://www.saechsische-dampfschiffahrt.de
      🙂

  14. Ola, estive em Dresden por 2 dias em 2013 mas peguei o inicio de uma tempestade, estou voltando este ano. Voce saberia dizer onde acho informações sobre horario de onibus? Vou ficar hospedada em Rockau

    1. Puxa vida, e no final ainda não consegui sentar para escrever aquele post sobre os lugares próximos a Dresden! Ah, mas ainda bem que vocês conseguiram visitar a Suiça Saxônica direitinho com as dicas do post, fico feliz! Aproveitem a Alemanha! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s