Trens alemães

Embora eu já tenha escrito um post sobre como viajar pela Alemanha e outro sobre transportes públicos – que mencionam algumas coisas sobre trens – vale a pena fazer um post só sobre os diferentes tipos de trens alemães.

O transporte sobre trilhos é um dos principais e mais tradicionais meios de transporte na Alemanha. Para ter uma idéia, a Alemanha é o sexto país com mais ferrovias, 41.981km, perdendo apenas para Canadá, Índia, China, Rússia e Estados Unidos, países infinitamente maiores em área que a Alemanha. Em relação à área, a Alemanha é provavelmente o país com mais quilômetros de ferrovias por km².

Todas as conexões de trem na Alemanha. Em Vermelho, conexões de ICE, em azul, conexões de IC, e em cinza, conexões de trens regionais e outros.  Bahn-Streckenkarte_Deutschland.png: Qualle derivative work: YouthOfSword (talk) - Bahn-Streckenkarte_Deutschland.png - Wikipedia

Todas as conexões de trem na Alemanha. Em Vermelho, conexões de ICE, em azul, conexões de IC, e em cinza, conexões de trens regionais e outros.
Bahn-Streckenkarte_Deutschland.png: Qualle derivative work: YouthOfSword (talk) – Bahn-Streckenkarte_Deutschland.png – Wikipedia

Viajar de trem na Alemanha é portanto comum – mas não é barato. Para encontrar a opção mais econômica, é bom ter uma noção das possibilidades que a Deutsche Bahn – a companhia ferroviária alemã – oferece. A começar pelos tipos de trem. Primeiro uma definição simples: normalmente na estação você vê trens brancos e trens vermelhos. Os brancos são os trens de longa distância, e os vermelhos, os de curta distância.

ICE – Intercity Express

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

“ICE3 Cologne” by Heinz Albers, http://www.heinzalbers.org–%5B%5BUser:Heinz Albers|Heinz Albers]] – Wikipedia

O ICE é a opção mais rápida, e também a mais cara. Os ICEs fazem as conexões entre as principais cidades com poucas paradas pelo caminho. São os trens mais modernos e rápidos da Alemanha, podendo atingir 320km/h!! Ó, mas que rápido! A ironia é que embora os trens tenham essa capacidade, os trilhos não têm. Sim, você entendeu certo. Os trens podem viajar a 300km/h, mas não sobre os trilhos existentes por aqui. Tem apenas duas linhas ferroviárias na Alemanha que suportam a velocidade da última geração dos ICEs, a conexão entre Frankfurt e Colônia, e uma conexão entre Nuremberg e Ingolstadt. Na maior parte das outras linhas, os ICEs têm que viajar na metade da velocidade de que são capazes. =/

O mapa abaixo mostra as linhas por onde os ICEs viajam e as velocidades permitidas de acordo com a legenda de cores.

"ICEtracks" by Classical geographer - Wikipedia.

“ICEtracks” by Classical geographer – Wikipedia.

Mas mesmo a 150km/h eles são trens super modernos e confortáveis. Achar espaço para a bagagem às vezes é um desafio se suas malas forem muito grandes, mas aqui e ali tem alguns bagageiros. Tem sempre também um vagão restaurante, e algum funcionário que passa pelos vagões oferecendo café ou outras bebidas para os passageiros. A única coisa que falta mesmo, e já está bem atrasada, é wifi grátis. Mas pelo menos tem tomada ao lado dos assentos, normalmente uma para cada dois assentos, no meio dos dois.

Vagão restaurante de um ICE

Vagão restaurante de um ICE

"Interior of 2nd class carriage of ICE 3 train" by Maxim75 - Own work - Wikipedia

“Interior of 2nd class carriage of ICE 3 train” by Maxim75 – Wikipedia

Outra coisa legal dos ICEs é que para todas as viagens eles deixam, nas mesinhas ou nos assentos, um plano do percurso que mostra todas as cidades em que o trem para, o horário de chegada e de saída e as conexões a partir de cada cidade. Bem útil e interessante.

Reise Plan

IC – InterCity

"Leipzig IC" by ArtVandelay13 - Own work - Wikipedia

“Leipzig IC” by ArtVandelay13 – Wikipedia

Menos modernos que os ICEs, os ICs também fazem conexões longas, mas com mais paradas pelo caminho. Eles são um pouco menos confortáveis que os ICEs, mas mais espaçosos (tem bagageiros para malas maiores em todos os vagões, e mesmo no bagageiros sobre os acentos cabem bagagens maiores). Ele é mais lento que os ICEs, e o problema é que nem sempre têm vagão restaurante no trem. Provavelmente tem na maioria das vezes, mas eu já fiz uma viagem de 8h em um IC sem restaurante, achei meio insano.

"DB Bpmz interior" by ArtVandelay13 - Wikipedia

“DB Bpmz interior” by ArtVandelay13 – Own work – Wikipedia

Tanto o IC quanto o ICE têm assentos marcados, mas para reservar um assento específico é preciso pagar extra (se não me engano, 4 euros por assento por trecho). Vale a pena reservar especialmente em alta-temporada ou em conexões com grande fluxo de passageiros (por exemplo Colônia-Frankfurt) para não correr o risco de ficar de pé. Sobre o assento, onde tem a indicação do número, vai aparecer ou eletronicamente (no ICE) ou um papelzinho (no IC) que diz que aquele assento está reservado da cidade x até a cidade y. Desta maneira, se você não tiver reservado um assento, saberá se aquele assento vazio está reservado para alguém ou se você pode sentar lá tranquilamente.

E se você tiver um assento reservado, antes de embarcar procure na estação a informação sobre a posição dos vagões do trem. Assim você poderá entrar no trem direto pelo seu vagão, e evitar ter que carregar suas malas ao longo de todo o trem até achar o seu lugar. O “mapa” da localização dos vagões fica em uns pôsteres ao longo da plataforma, assim:

IMG_9778

O desenhinho do trem mostra a localização de cada vagão (números), e na primeira linha e última linhas, em cima/embaixo de todos os desenhos de trens, aparece a localização na plataforma (letras). Na foto acima, por exemplo, o último vagão do trem EN477 das 21:07 (o último, lá embaixo) está na área B da plataforma. Você acha esse trecho da plataforma procurando umas grandes placas azuis com as letras correspondentes:

IMG_9768

E para saber em qual vagão você está? No seu bilhete, as informações do seu trem serão mostradas dessa forma:

reservierung

Produkte indica o tipo e o número do trem, nesse caso, IC1952. Em Reservierung você verá o número do vagão (Wg. 9, aqui), o(s) número(s) do(s) assento(s) (Pl. 95 96, aqui), e a indicação de que tipo de assento é (2 Fensters = 2 janelas; Tisch = na mesa). Finalmente, algumas informações extras sobre aquele vagão. Aqui, por exemplo, diz Nichtraucher, o que significa que é um vagão para não-fumantes. Outra informação que aparece às vezes é “Handy“, indicando que é permitido falar no celular naquele vagão.

RE e RB – Regional Express e Regional Bahn

Os trens regionais fazem conexões mais curtas, normalmente dentro de um mesmo estado, ou no máximo até o estado vizinho. Tem mais de um tipo de trem entre os trens regionais, mas normalmente esses são os mais comuns.

Trens regionais, ou aliás qualquer trem sem ser o ICE ou o IC, não têm vagão restaurante nem assentos marcados. Normalmente você compra um bilhete que não diz dia nem horário, e carimba na estação antes de entrar no trem.

A diferença entre um RE e um RB é que o RE, expresso, pára em menos estações, enquanto o RB pára basicamente em todas as estações pelo caminho.

S-Bahn

Os S-Bahns são trens locais ou metropolitanos, que conectam algumas cidades maiores às cidades ou vilarejos vizinhos, parando em todas as estações por qual passa. São um meio termo entre trem regional e metrô, basicamente.

Os mais comuns são esses trens simpáticos com dois andares:IMG_9755

U-Bahn e Straßenbahn (ou Tram)

U-Bahn e Straßenbahn são trens municipais. U-Bahn é como chama o metrô por aqui, e Straßenbahn, ou tram, são os bondes de rua, ou VLT. Eles são diferentes de cidade pra cidade.

Além desses tipos básicos, em alguns locais você vai encontrar alguns trens diferentes pertencentes a outras companhias que não a Deutsche Bahn. Normalmente eles fazem ligações regionais específicas, e funcionam como um trem regional. Nas estações de trem alemãs você poderá ainda encontrar outros trens diferentes vindos de outros países da europa, que são os correspondentes ao ICE ou IC dos seus países de origem.

IMG_9762

Uma coisa que convém saber sobre trens por aqui – que pode gerar confusão para quem não está acostumado a viajar de trem – é que alguns trens se dividem em dois. Eles começam juntos numa cidade, e em alguma outra cidade no caminho parte do trem é desconectada da outra e cada um continua seu próprio percurso. Então é bom prestar bastante atenção no que diz o seu bilhete e o que diz no visor do trem (lateral próximo às portas nos ICEs e ICs, e frontal, como em ônibus, nos trens regionais) e nas placas informativas na plataforma. Na dúvida, pergunte.

Exemplo de placa informativa na plataforma. Esta está indicando um trem que está para chegar (Ankunft = chegada) às 12:51, vindo de Zwickau.

Exemplo de placa informativa na plataforma. Esta está indicando um trem (RB 17221) que está para chegar (Ankunft = chegada) às 12:51, vindo de Zwickau.

Esses grandes cartazes amarelos podem ser encontrados em qualquer estação e plataforma, e indicam os trens que saem daquela estação, e os horários.

Esses grandes cartazes amarelos podem ser encontrados em qualquer estação e plataforma, e indicam os trens que saem daquela estação, e os horários.

Quanto às passagens, você pode comprá-las online, nos guichês nas estações de trem, ou nas máquinas de bilhetes das estações de trem.

No site da Deutsche Bahn você pode procurar conexões e adquirir passagens para os ICEs e ICs. Lembre-se que o quanto antes você comprar sua passagem, mais chances você tem de achar um preço bom ou alguma promoção. Nunca deixe para comprar a menos de 3 dias antes da viagem. Preste atenção nas conexões da sua passagem, algumas conexões exigem que você saia de um trem e entre no seguinte em menos de 10 minutos. Se você estiver com muita bagagem, pode ser mais seguro evitar conexões muito apertadas. Se o seu primeiro trem atrasar e você achar que vai perder a conexão, peça informações para o fiscal que passa verificando os bilhetes – ele vai poder te informar se vai ser possível pegar a conexão, e, se não, quais são as alternativas. Se você perder sua conexão por culpa de atrasos dos trens, a DB vai te indicar uma alternativa sem que você tenha que pagar nada, claro. Se for a última conexão do dia e tiverem suficientes passageiros fazendo aquela conexão, o segundo trem espera o primeiro chegar.

Pelos guichês nas estações você também pode comprar bilhetes, mas é menos prático do que parece. Você imaginaria que pelo guichê é a melhor opção para perguntar a alternativa mais econômica para a viagem que você quer saber mas que nada. Várias das promoções e descontos são disponibilizados só pelo site, então comprar online é sempre a melhor opção. No guichê eles só te perguntam origem, destino e dia/horário da viagem, e não te dão alternativas.

Para os trens regionais, a opção mais fácil é comprar o bilhete nas máquinas disponíveis nas estações.

IMG_9783

Para ler sobre outras maneiras de viajar pela Alemanha, este post aqui descreve as várias alternativas.

IMG_9771 IMG_9777


(Publicado em 19 de Janeiro de 2015)

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s