Gentileza cotidiana

Em comparação com brasileiros, americanos, sul americanos em geral e mesmo vários europeus, os alemães podem parecer bastante grossos. Não é só o fato de eles serem bem diretos, tem várias coisinhas do dia a dia que também passam essa impressão. Por outro lado, pequenas diferenças culturais às vezes também dão a impressão de que eles são mais educados que a gente. Tudo depende do ponto de vista, tudo tem dois lados.

Então vou falar de algumas dessas diferenças de como as pessoas por aqui se comportam no dia-a-dia, que pra gente são interpretadas como diferenças positivas ou negativas. Começando pelas negativas:

– Se você estiver num lugar cheio de gente, como digamos um mercado de natal, é bem comum as pessoas esbarrarem em você e não fazerem o menor esforço de pedir desculpas. Aliás, às vezes eu tenho a impressão de que eles nem fazem esforço de não esbarrar em você se tiver muita gente. Claro, se for uma situação em que reeeealmente a pessoa não precisava mesmo ter encostado em você, e foi um super acidente, com certeza vai rolar um pedido de desculpas. Mas numa situação que tem mta gente e encontros são quase inevitáveis, esquece.

– Atendentes em lojas, fast-food e lugares assim, raramente são simpáticos ou bem humorados… Principalmente fast-food, lanchonete, tal, raramente a pessoa do caixa vai te atender com um sorriso. Em várias situações vai parecer, pelo jeito que eles tão te tratando, que você está fazendo algo super errado – sem nem saber o quê. É. (isso pode ser que seja diferente em outras partes da Alemanha… mas pelo menos aqui na Saxônia é bem assim).

– Os alemães costumam ser muuuito apressados. No supermercado, no caixa, assim que você paga, o caixa já começa a passar as compras do próximo cliente, mesmo que vc não tenha terminado de guardar as suas compras ainda e mesmo que não tenha espaço nenhum pra você fazer isso. No começo pode parecer super grosso, mas depois que você acostuma, até faz sentido, o caixa vai bem mais rápido, assim. E, com certeza, se os caixas fizessem diferente, os alemães iam se incomodar pra caramba com a demora. Essa pressa pra fazer logo as coisas é meio geral. Pra pagar, por exemplo, se tiver uma fila atrás de você, deixe o dinheiro preparado e pronto pra pagar. Uma vez passeando com uma amiga que estava de visita, num ponto turístico, ela se atrapalhou para achar o dinheiro certo (já que não estava acostumada com as moedas diferentes) e a mulher do caixa foi suuuuper grossa, ficou fazendo óbvios sons e caras de impaciência e desaprovação, parecia que era a minha amiga que estava sendo mal-educada e fazendo algo errado. E, de fato, para os alemães é isso mesmo.

– Eles assoam o nariz super alto em qualquer situação ou ambiente.

– No trem, metrô e meios de transporte, é muuuito comum as pessoas ocuparem dois assentos, um para si e um para a mochila/bolsa/o que for. E com freqüência eles só tiram a mochila do outro banco quando alguém pede pra sentar lá. Mesmo quando está bem cheio isso acontece (embora menos, claro). Um exemplo emblemático foi uma vez que eu e uma amiga pegamos um trem, era uma viagem de 15 min. Estava bem cheio quando entramos, mas achamos um banco vazio. Quando a minha amiga foi sentar, o cara do lado falou “não, aqui está ocupado, aquele homem está sentado aqui” apontando para um cara que estava de pé conversando com umas pessoas que estavam sentadas uma fileira na frente. Até aí tudo bem. A gente ficou de pé do lado daquele banco e durante os 15 minutos de viagem, o tal homem não se sentou no banco que era “dele”. Foi muito grosso, ele viu que a gente quis sentar lá, ele viu que a gente estava de pé ali do lado, e ele mesmo não pretendia voltar a sentar no banco até o destino final. Me arrependi de não ter falado bem alto “nossa, que mal-educado!” ou coisa do tipo…

– Também nos transportes públicos, uma coisa que pra gente é muito comum e aqui ninguém faz jamais é quem está sentado oferecer pra segurar a bolsa ou o que for de quem está de pé. Isso seria totalmente estranho aqui.

– Outra coisa que pode parecer estranha pros brasileiros é que os alemães quase nunca oferecem aquilo que estão comendo ou bebendo para os outros provarem. Claro, sei lá, se o fulano estiver com um enorme saco de cookies e vários amigos do lado, a pessoa vai oferecer. Mas se for uma coisa pequena, sei lá, um chocolate, o que for, eles vão comer na tranquilidade sem oferecer. E oferecer para desconhecidos (tipo, sei lá, no trem, whatever) também seria totalmente estranho por aqui.

Mas as coisas positivas também existem:

– É super comum os alemães segurarem as portas uns para os outros. Qualquer pessoa pra qualquer pessoa, desde que você passe por uma porta e tenha alguém vindo na direção daquela porta, você segura a porta pra pessoa. Às vezes até já me seguraram a porta embora eu ainda estivesse super longe da porta quando a outra pessoa passou por lá. Segurar porta é regra.

– Voltando ao transporte público, se você estiver com carrinho de bebê, sempre alguém vai dar uma ajuda pra subir ou descer o carrinho do trem, se precisar. Quando você tá obviamente precisando de ajuda com alguma coisa, assim, bem óbvia, os alemães percebem de longe e vem ajudar sem hesitar.

– Se você estiver correndo pra não perder o tram, sempre alguém vai ver e segurar a porta pra vc, pro tram não ir embora sem você. Algumas vezes, mesmo depois de o/a maquinista (maquinista?) do tram já ter fechado as portas definitivamente, se ele vir você correndo pra pegar o tram às vezes eles te esperam e abrem de novo só a porta que você vai usar. Nem sempre, porque eles têm uma agenda pra cumprir. Mas se der pra esperar, eles esperam.

IMG_9082

– É muito raro alguém ouvir música alto nos transportes públicos. Ás vezes tem uns que ouvem tão alto no fone que é quase como se não tivesse o fone. Mas sem o fone, mesmo, acho que nunca vi.

– Os alemães seeeeeeeeeempre esperam todos antes de começar a comer ou beber. Sempre rola um tim-tim antes de beber. Mesmo que você estiver, sei lá, comendo junto no McDonald’s, eles sempre esperam todo mundo estar sentado com a comida antes de começar a comer. Eu tenho a impressão de que, principalmente com bebida, no Brasil a gente não espera. E brinde é só em situações bem especiais, e tal. É super comum eu começar a beber e de repente me toco que tá todo mundo esperando e aí tenho que pedir desculpas e explicar que pra mim isso é super incomum!

– Eles também sempre dizem “bom dia!” ou “olá”, e “tchau”, mesmo para desconhecidos. Claro, não no meio da rua numa cidade de tamanho razoável. Mas dentro do seu prédio sempre, num local em que tenham só você e outra pessoa mesmo que desconhecida (elevador, por exemplo), ou até se você estiver, por exemplo, fazendo uma trilha na floresta e cruzar com outras pessoas, eles sempre dirão bom dia/boa tarde.

– Eles não riem de você. Se você, por exemplo, tropeçar e cair, na rua, vem logo alguém perguntar se você se machucou ou se está bem. Ninguém, nem conhecido nem desconhecido, acha engraçado ver outras pessoas se machucarem. Eles também não fazem piadas preconceituosas. Piadinhas machistas, racistas e homofóbicas, que são super comum numa mesa de família ou no escritório, no Brasil, por aqui é muuuuuuuuuuito raro ouvir. Aliás, por exemplo, com aquele resultado do jogo Brasil x Alemanha da Copa. Imagina se fosse 7×1 pro Brasil e fosse um alemão no Brasil. Tooooooooodo mundo ia ficar enchendo o saco do fulano, fazendo graça, e tal. Nenhum alemão fez isso comigo. Ok, mentira, lembrei de um, um professor. Mas só. Os outros ou nem comentaram o assunto, ou, quando comentaram, foi mais num sentido “nossa, o que aconteceu naquele jogo, hein? Que resultado inesperado!”, coisa do tipo.

– E, pra mim, o ponto mais importante e mais positivo dos alemães, é que eles sempre te deixam em paz. Os alemães sempre. deixam. as pessoas. em paz. Sempre. Ninguém mexe com você na rua, assédio de rua, chamar moça de gostosa ou o que for, é uma coisa que simplesmente não existe aqui. Os alemães respeitam muito a privacidade das pessoas na rua e em locais públicos. Ninguém jamais fala com você sem ser necessário. Quer dizer, pode até ser que em um caso ou outro eles puxem conversa (por exemplo já aconteceu de algum alemão que se interessa pelo Brasil e fala um pouquinho de português puxar conversa comigo e algum amigo ao nos ouvir falar português, e tal), mas é sempre de maneira super respeitosa e tranquila, e sem insistência. Essa característica é uma das coisas que eu mais gosto nos alemães.


(Publicado em 10 de Janeiro de 2015)

 

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s