Eleições 2

Hoje, de novo, foi dia de eleições na Alemanha.

Ano passado eu já escrevi um post sobre eleições, no caso sobre a eleição para o parlamento alemão (que elege o/a chanceler). Mas hoje a eleição foi para outros cargos, e eu tive a oportunidade de participar, então vale a pena escrever um pouco mais sobre o assunto.

Hoje o voto era para o parlamento europeu, para o parlamento municipal, e – se você for estrangeiro – para o Ausländerbeirat, o conselho de estrangeiros da prefeitura (No caso, em Dresden. As eleições municipais e estaduais não são sempre na mesma data em todos os estados, então talvez em alguns outros lugares da Alemanha hoje tenha tido só a eleição para o parlamento europeu).

Vou falar um pouco de cada um desses cargos. Primeiro o parlamento europeu. O parlamento tem várias funções relacionadas ao funcionamento da união européia, como decidir a respeito da entrada de novos membros, ou como é aplicado o orçamento da UE, etc. É uma eleição muitas vezes ignorada, porque parece não ter um resultado direto para o país, mas é possivelmente a mais importante, já que muitas das leis e decisões de cada país membro são feitas baseadas nas diretrizes do parlamento europeu.

Todos os cidadãos maiores de idades dos países-membros podem votar para o parlamento europeu, em qualquer dos países membros. Você vota para os representantes do seu país no parlamento europeu, ou para os representantes do país em que você reside. Então se você for, por exemplo, um português morando aqui na Alemanha, você pode ou ir votar em Portugal, para os representantes de Portugal, ou se registrar para votar aqui, para os representantes alemães no parlamento.

A cédula (aqui a votação é toda em cédulas de papel, ainda, tsctsc) é um papel gigantão de 75cm de comprimento, assim:

DPA/ARCHIV

Bom, essa é a cédula alemã, claro, em cada país será diferente. Você vota para um partido, e a cédula é gigantona assim porque mostra todos os partidos candidatos e, para cada um deles, as pessoas que o partido escolherá como representantes caso receba suficientes votos. Mas o seu voto vai para o partido, não para uma pessoa específica. A eleição para o parlamento europeu ocorrem a cada 5 anos.

Para a eleição do parlamento municipal, é similar. A cédula é de outra cor (você recebe as duas cédulas juntas ao apresentar seu documento), mas também bem comprida. Só que nesse caso você vota para candidatos diretamente. Cada partido pode ter vários candidatos, um para cada bairro da cidade, por exemplo. E, sendo um parlamento, vários candidatos são eleitos.

A cédula é mais ou menos assim:

Aparece além dos nomes dos candidatos também sua profissão. Nessa cédula você tem três votos. Você pode votar três vezes para o mesmo candidato ou dividir seus votos entre diferentes candidatos de um ou mais partidos. E pode, se quiser, votar só uma ou duas vezes, também.

Se você for cidadão de qualquer país membro da União Européia, pode votar para as eleições municipais de qualquer cidade da União Européia (desde que você more lá, claro).

E, finalmente, a eleição para o Ausländerbeirat. Esse conselho de estrangeiros é bem interessante, porque para muitos estrangeiros é  a única oportunidade de votar, aqui. Basicamente os candidatos eleitos trabalham fazendo recomendações à prefeitura referentes ao que for de interesse para os cidadãos estrangeiros (não-europeus) de Dresden.

A cédula de hoje era assim:

http://www.dresden.de/media/pdf/wahlen/Stimmzettel__Muster_.pdf

Aparece o nome do candidato, sua profissão, ano de nascimento, nacionalidade e país de origem (alguns têm nacionalidade alemã, mas nenhum é nascido na Alemanha) e se o candidato é parte de algum grupo (algo similar a um partido) ou se é um candidato independente (“Einzelbewerber/in”) . Você tem, como nas eleições municipais, três votos, que podem ser dados todos para um único candidato, ou distribuído entre diversos candidatos.

Nas eleições de hoje em Dresden tinham dois candidatos brasileiros, além de representantes da Rússia, Turquia, Moçambique, Vietnã, Espanha, Colômbia, Peru, Cuba, Montenegro, Tanzânia, Bósnia, Marrocos, Polônia, Canadá, Azerbaijão, Paquistão, Cazaquistão, Bangladesh, Ucrânia, Grécia, China e Hungria.

E se você puder e quiser votar em alguma dessas eleições, como faz para se registrar?

O mais legal daqui é isso, você não precisa se registrar, nem mudar seu local de voto. Estando registrado na prefeitura como residente daquela cidade (o que é obrigatório), você já vai automaticamente receber uma carta, algumas semanas antes das eleições, referentes às eleições nas quais você tem direito de votar. A carta diz o local de votação (a escola mais próxima da sua casa) e a data das eleições. Para votar você tem que apresentar essa carta e um documento (apesar de que hoje nem me pediram documento…). Então o prático é que se você mudar de casa, o local de votação já vai mudar automaticamente.

E como na maioria dos países a votação não é obrigatória, se você não tiver interesse é só ignorar sua carta.

Como já comentei no post anterior sobre eleições, é possível também votar por correio. No verso da sua carta tem um formulário a ser preenchido e enviado por correio, caso você deseje votar por correio. Recebendo esse formulário, as autoridades te enviam a cédula para a votação por correio, e você envia de volta. Prático, mas, convenhamos, nada seguro.

O que nos leva a um outro ponto. Aqui, como em toda a europa, as eleições são todas em cédulas de papel, ninguém nunca nem ouviu falar em cédula eletrônica. E é FATO que todo e qualquer europeu com quem você comente que no Brasil se vota em urnas eletrônicas comenta, imediatamente, sem erro, a mesma coisa: “Ah, não, aqui a gente vota em papel, é bem mais seguro contra corrupção!”

Ou, em outras palavras: “O QUÊ, ALGO QUE É MAIS MODERNO NUM PAÍS SUBDESENVOLVIDO?? IMPOSSÍVEL, CERTAMENTE EXISTE UM MOTIVO DE CORRUPÇÃO POR TRÁS!!!”

Me dá um ódio profundo essa rapidez com que eles invalidam uma coisa que funciona melhor que no país deles e julgam corrupta, sem nem saber absolutamente nada sobre o assunto.

Sim, claro, é muuuuito mais difícil fraude em votação em papel, quer dizer, imagina, alguém fazendo um xizinho com uma caneta numa cédula que não lhe pertence?? Impossível!! Contar papeizinhos errado?? Impossível! Fraudar o resultado da contagem?? Impossível!!
Fora que com essa possibilidade de votação por correio, é a coisa mais fácil do mundo comprar votos!

Mas não, é o sistema moderno de votação brasileiro que é o corrupto. Embora os resultados das eleições sempre batam exatamente com as pesquisas de boca de urna de diversas instituições renomadas de pesquisa.

Enfim. Que continuem votando em papéis gigantes, então.


(Publicado em 25 de Maio de 2014)

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s