Zum Mitnehmen

Eis uma maneira prática para se livrar de coisas inúteis que ainda podem vir a ser úteis para outro.

Não sei se isso acontece em vários lugares da Alemanha, ou se é uma coisa típica só aqui em Dresden, e mais especificamente da Neustadt, o bairro jovem-artístico-alternativo da cidade. Mas por aqui andando pela rua é beeem comum você encontrar caixas com tralha de diferentes tipos e uma plaquinha ou papelzinho escrito “Zum Mitnehmen” (para levar) ou “Zu verschenken” (para dar). Pessoas que estão se mudando, ou fazendo uma limpeza geral na casa, coisa do tipo, juntam as coisas velhas que não querem mais guardar, mas que ainda podem ser úteis para alguém, colocam numa caixa com a plaquinha e deixam na frente da porta do prédio. No final do dia, a caixa está vazia.

Ok, essa não tinha o papel escrito 'Zum Mitnehmen'. Mas basicamente qualquer caixa aberta com livros ou coisas velhas, totalmente à vista, na porta de um prédio vc pode ter certeza que é para doar.

Ok, essa não tinha o papel escrito ‘Zum Mitnehmen’. Mas basicamente qualquer caixa aberta com livros ou coisas velhas, totalmente à vista na porta de um prédio, vc pode ter certeza que é para doar.

O que você mais encontra nessas caixas são livros, na sua maioria livros velhos meio toscos, tipo, sei lá, um guia de leis alemãs para estudantes de advocacia, ou o livro da igreja não sei qual sobre a Bíblia, umas coisas assim que ninguém tá muito a fim de levar. Bom, talvez apareçam coisas legais e coisas ruins com a mesma freqüência, só que como as coisas legais somem rápido e as coisas ruins ficam sobrando, você acaba vendo mais coisas ruins do que legais. Seja como for, sempre que eu vejo uma caixa dessas (e é bem comum), dou uma olhada pra ver se tem algo que vale a pena guardar. Já achei um Goethe, um livro do Darwin (não era A Origem das Espécies, infelizmente, mas um outro), e uma ou outra coisa que trouxe pra casa. Minha aquisição mais recente é esse livro sobre a América do Sul que aparece na foto acima. Saí de casa só para procurar uma caixa para fotografar e colocar aqui. Achei duas caixas, e um livro que valia a pena levar. Ou seja, é bem comum.

E, claro, não são só livros. Coisas de cozinha aparecem de vez em quando, ligeiramente quebradas mas usáveis (Já vi forno microondas, panela de pressão, batedeira…), e até móveis velhos como cadeiras, poltronas. Vi uma vez até uma porta (a maçaneta e as dobradiças sumiram no primeiro dia, mas o resto da porta ficou lá bastante tempo até o dono se tocar que ninguém ia levar e jogar no lixo).

Quando nos mudamos para esse apartamento, deixamos uma caixa que continha alguns livros velhos e toscos, umas coisas de escritório (pastas, fichários), e um cachecol do time de futebol de Dresden, o Dynamo. O cachecol sumiu nos primeiros cinco minutos, os livros e pastas foram desaparecendo ao longo do dia, e no final só sobrou o livro religioso do encontro de jovens da igreja sei lá qual, que acabou tendo que ir pro lixo, mesmo.

O que não é recomendável deixar na rua para levarem são coisas quebráveis (quebráveis mesmo como vidro, ou uma TV.). Não por eventuais acidentes, mas porque por algum motivo misterioso toda e qualquer TV que você deixe na rua terá sua tela chutada e quebrada por alguém nos primeiros 10 minutos. Sei lá, acho que TVs velhas são o escape de raiva do sistema dos transeuntes, ou algo assim. TVs antigas ou outras coisas que pedem para ser quebradas é melhor doar diretamente para alguém através de um anúncio no jornal de estudantes, ou coisa assim.

Aliás, com o jornalzinho de anúncios da faculdade dá para mobiliar a casa inteira por poucos ou nenhum euro. Como aqui a maioria dos universitários mora em república, o tempo todo tem república sendo desmontadas e móveis velhos e baratos sendo oferecidos por 10 euros, uma cerveja, ou nada, para o primeiro que vier buscar correndo e livrar os atuais donos do trambolho antes da mudança. E assim doamos uma TV velha por 2 cervejas, uma mesinha de centro por 25 centavos de liras turcas (coleciono moedas), e compramos um sofá-cama por 45 euros (isso pq já tínhamos desistido de vários outros sofás, gratuitos, pq eram muito velhos e feios. Mas se você não se incomodar com móveis alternativos – e normalmente estudantes montando república não se incomodam –, dá pra arranjar muita coisa de graça!).

Neustadt

Neustadt, o bairro artístico-jovem-alternativo de Dresden.

E assim um pequeno passeio pelo bairro pode ser super lucrativo!


(Publicado em 12 de Fevereiro de 2014)

 

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s