Oi, tudo bem?

Na Alemanha, um simples “oi tudo bem” pode ser um pouco mais significativo do que parece. A resposta breve, simples e não comprometedora que nós brasileiros damos a essa pergunta (“tudo!”), que vale igual tanto para quando você acabou de ser promovido a diretor geral da Apple quanto para poucos minutos depois da morte do seu cachorro, aqui não vale.

Sabe quando vc vê alguém na rua, pela janela do ônibus e grita “Oi, Fulano!! Tudo bem?”. Não funciona.

Ao perguntar para algum alemão (e é educado perguntar) “Wie geht’s” (como vai?), espere uma longa e detalhada resposta.

Embora possam ser descritos como “fechados”, os alemães costumam ser na verdade bem abertos se vc perguntar como vão as coisas. Nada é pessoal demais. “Ah, eu tive um ataque cardíaco no mês passado, agora tenho que tomar vários remédios durante um ano, meu médico disse que 30% das pessoas que tiveram ataque cardíaco morrem no primeiro ano, então tem que tomar vários cuidados, e tal, aí eu pedi demissão, mas tá meio complicado para pagar as contas, e…”.

E eles esperam respostas igualmente precisas da sua parte. Fique à vontade para descrever aquela briga que o seu tio teve com a sua avó na semana passada sobre o seu cachorro, eles vão ouvir com atenção.

E se você tiver um(a) namorado(a) alemão(ã), fique tranquilo em saber que toda a família e os amigos próximos dele(a) que lembrarem de perguntar “e como vai o(a) namorado(a)?” saberão detalhes da sua vida. (mas nada além do socialmente aceitável, claro, não se assuste). Mas várias vezes já me desentendi com o moço ao ouvi-lo no telefone explicando “Ah, tudo bem, ela estava meio deprimida por não conseguir arranjar um emprego, né, e especialmente agora, no inverno, mas agora ela começou a trabalhar, então as coisas melhoraram, e a mãe dela veio visitar recente, também, e também um professor da universidade apareceu por aqui, ela ficou contente de poder falar um pouco de português com alguém, porque ela não conhece nenhum brasileiro, aqui, sabe, mas ela fez alguns amigos no curso de alemão e…”.

Aliás, às vezes nas coisas mais simples eu sinto que os alemães se explicam demais. Por exemplo, indo comprar um casaco de inverno na C&A, namorado perguntando para a vendedora “Ah, você pode ajudar a gente com os casacos de inverno, aqui? Não, pq sabe o que é, a minha namorada é do Brasil e esse é o primeiro inverno dela aqui, e a gente não sabe qual casaco é melhor e…”

Nada é pessoal demais.

(todas as conversas-exemplos são baseadas em fatos reais!)


(Publicado em 17 de Junho de 2013)

Anúncios

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s